Artigo

12. o estrangeiro e a sua absurdidade

Diálogos do Direito, Vol. 5, No. 9, 158-176


Celso Augusto Nunes da Conceição, Angela Kretschmann

Sinopse:


O pensamento contrassensual ou inconsistente sempre causa desconforto intelectual quando uma decisão foge ao bom senso de qualquer situação. é justamente do que trata a obra “o estrangeiro”, de albert camus, em que o personagem principal foi condenado não pelo seu crime, mas pela sua conduta social. e como recentemente o brasil aplicou o acordo ortográfico de 2009, mesmo sabendo que os outros países lusófonos ainda o estão discutindo, a relação entre a obra e esse “(des)acordo” hibridiza tanto a expressão “estrangeiro” como os absurdos ocorridos nos dois casos. a partir disso, é possível apresentar o percurso de ambos e as suas vicissitudes que geraram os argumentos falaciosos constituintes das absurdidades.

Palavras-chave:


Ficha técnica

Título: 12. o estrangeiro e a sua absurdidade

Outras informações: Diálogos do Direito, Vol. 5, No. 9, 158-176

Autor(es): Angela Kretschmann, Celso Augusto Nunes da Conceição

Copyright (revista): CC BY-NC-ND

Decisão