Artigo

Sorte Moral, Carácter e Tragédia Pessoal

Revista do Instituto do Direito Brasileiro, Vol. 2 (2013), No. 1, 1-71


Fernando Araújo

Sinopse:


Pode a Ética, tal como sempre a concebemos, resistir à constatação da existência de «sorte moral»? O problema da sorte moral pode ser muito sucintamente definido do seguinte modo: a) por um lado, alimentamos a convicção de que só é justo louvarmos ou censurarmos alguém por acções que lhe sejam imputáveis – no sentido de que essas acções foram controláveis, e controladas, por esse agente moral; b) por outro lado, não resistimos a avaliar essas acções pelos seus impactos, bons ou maus – no mundo, em terceiros, no próprio agente –, mesmo quando esses impactos são claramente produto de circunstâncias que não foram controláveis, ou controladas, total ou sequer parcialmente, pelo agente moral.

Ficha técnica

Título: Sorte Moral, Carácter e Tragédia Pessoal

Outras informações: Revista do Instituto do Direito Brasileiro, Vol. 2 (2013), No. 1, 1-71

Autor(es): Fernando Araújo

Ano: 2013

Copyright (revista): CC BY-NC-ND

Decisão