Artigo

Big data e concorrência: fases de atuação do regulador antitruste americano e europeu

Direito Público, Vol. 15, No. 84


Gabriela Monteiro, Carlos Emmanuel Joppert Ragazzo

Sobre:

Resumo: o termo big data reflete a tendência de coletar, adquirir, armazenar e processar, em alta velocidade, grandes volumes de dados digitais variados para criar valor econômico. mais recentemente tem se notado uma mudança na postura do regulador antitruste que vem dando maior atenção a potenciais preocupações que podem emergir da exploração de big data, em especial nos mercados digitais. na união europeia, nota-se que o regulador antitruste transitou da “indiferença” para uma postura de “desconforto”, e vem efetivamente tentando “encaixar” ou, ao menos, considerar os potenciais impactos da exploração de big data (ou de dados) em suas análises concorrenciais. afirmação semelhante, contudo, não pode ser feita com relação aos estados unidos, onde a marcha de saída de um posicionamento de “indiferença” para um posicionamento de “desconforto” ainda vem se dando de forma bastante tímida, a despeito das discussões iniciadas no caso google/doubleclick.

Palavras-chave:


Ficha técnica

Título: Big data e concorrência: fases de atuação do regulador antitruste americano e europeu

Autor(es): Gabriela Monteiro, Carlos Emmanuel Joppert Ragazzo

Páginas: 28

Copyright (revista): CC Outro

Decisão