Working Paper

A natureza jurídica dos animais à luz da Lei n.º 8/2017, de 3 de março


A. Barreto Menezes Cordeiro

Sinopse:


   A 22 de dezembro de 2016, foi aprovado, “por unanimidade e aclamação”, um novo estatuto jurídico-civil dos animais. A alteração, promovida pela Lei n.o 8/2017, de 3 de março – entrando em vigor a 1 de maio de 2017 –, insere-se num mais vasto movimento reformista, de índole civil, criminal e contraordenacional, que visa o acréscimo da proteção jurídica concedida aos seres vivos não humanos. 

   No presente estudo, iremos analisar o impacto efetivo das alterações introduzidas no Código Civil, tanto numa perspetiva dogmática – qual a atual natureza jurídico-civil dos animais – como numa perspetiva prática – qual o regime jurídico-civil hoje aplicável aos animais. 

   Aproveitaremos, ainda, para examinar todo o processo legislativo, desde a entrada, na Assembleia da República, do Projeto de Lei n.o 164/XIII (1.a), da autoria do Partido Socialista, até à aprovação final do diploma, passando por diversas soluções propostas pelos principais intervenientes na reforma legislativa.  

 


Ficha técnica

Título: A natureza jurídica dos animais à luz da Lei n.º 8/2017, de 3 de março

Autor(es): A. Barreto Menezes Cordeiro

Instituição: Universidade de Lisboa

Departamento: Centro de Investigação de Direito Privado

Páginas: 21

Decisão